terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Moscou

São Petersburgo é um daqueles lugares que a gente deixa com o coração apertado, e foi assim que seguimos para Moscou no trem noturno que liga as duas cidades.

A cabine, apesar de apertadinha, nos surpreendeu, pois tinha bom aproveitamento de espaço e tudo de que precisávamos. Depois de uma ótima noite de sono acordei ao raiar do dia, quando estávamos chegando.

Trocar São Petersburgo por Moscou é deixar pra trás a Rússia czarista e dar boas-vindas à Rússia soviética, com seus prédios "bolos de noiva" (como o que aparece bem no centro da foto acima). 

Caminhando a partir do hotel, avistamos a Praça Vermelha



como os russos gostam de melancia!


não é preciso aprender russo, mas ajuda bastante conhecer a correlação entre as letras dos dois alfabetos. Aqui, por exemplo, está escrito "Lenin", na entrada do mausoléu


Interior da Catedral de São Basílio, na Praça Vermelha







contrastes na nova rua Arbat






 
velha rua Arbat, só para pedestres

















 


 
Parque de esculturas gigantes perto da Galeria Tretyakov em Krymskiy Val (arte russa do século XX)


 






nessa área de museus fica o Parque Gorky. É sábado e tem muita gente. Outra comida de rua bastante popular por aqui é o milho




ah, os refrescos russos... o mais tradicional, de xarope de estragão, e outro de frutas vermelhas

estrogonofe à russa, com purê

 panna cotta. O restaurante é o Tetri, especializado em comida georgiana

Praça Vermelha à noite. Vermelha em russo significa  bonita, daí o nome



 
as famosas estações de metrô de Moscou. Com um só bilhete dá pra parar em várias delas e apreciar sua beleza. Os soviéticos davam até festas aqui...










Nova Arbat

Nenhum comentário: