segunda-feira, 7 de abril de 2008

Cozinha e literatura

Em “Cozinha Confidencial”, Bourdain revela o segredo de seu sucesso no curso de gastronomia:

“Claro que, nas aulas, meus caldos sempre tinham um gosto muito melhor que o dos colegas. Ninguém entendia como é que eu conseguia obter um sabor tão gostoso (...) Caso meus professores tivessem me cumprimentado com uns tapinhas antes da aula, talvez ficassem sabendo do segredo: dois envelopes de papel-celofane contendo concentrado de lagosta e galinha no bolso do meu jaleco de chef, para aquele quê a mais. Eles nunca descobriram."

*********************************************

“A vida seria muito mais agradável se uma pessoa pudesse levar aonde quer que fosse os sabores e cheiros da casa materna.”

“Por isso estou preparando tortas de Natal, meu prato favorito. Mamãe me preparava todos os anos. Minha mãe!... Como sinto falta de seu tempero, do sabor de seus pratos, do cheiro de sua cozinha, de sua conversa enquanto preparava a comida, de suas tortas de Natal!
Não sei por que as minhas nunca ficaram como as delas e tampouco sei por que derramo tantas lágrimas quando as preparo. Talvez porque eu seja tão sensível à cebola quanto Tita, minha tia-avó, que continuará vivendo enquanto houver alguém que cozinhe suas receitas.”

Laura Esquivel, em “Como Água para Chocolate”

Um comentário:

Elba disse...

Nádia, quala dificuldade que vc está tendo para comentar no meu blog? Por favor, diz pra mim para que eu possa tentar consertar...Obrigada e beijinhos!:)
Adoro "Como água para chocolate"...E a "Festa de Babette"? Nossa!!!